Mensagem de Natal do Arcebispo Primaz de Braga

O Natal é o tempo da família. Teve origem na família de Nazaré e é, hoje, celebrado na alegria do encontro dos familiares que se deslocam, de longe ou de perto, para um momento que a todos envolve na alegria.
A Arquidiocese de Braga quis, nesta quadra natalícia, centrar-se na família para que ela seja a razão da esperança que queremos semear. Não somos pessimistas mas a realidade familiar não é tranquilizante. Dou graças a Deus pelas famílias fiéis que crescem, nos bons e maus momentos, no amor. Só que, ao lado destas, existem casais que não se amam verdadeiramente e que são incapazes de se perdoarem no momento das ofensas. Há filhos que desprezam os pais, ofendendo e magoando com palavras e atitudes. Há avós que são marginalizados e esquecidos na solidão das suas casas ou nos lares que os acolhem. Muitas pessoas vivem na tristeza pois a vergonha impede-as de comunicar e de sair dessas situações. Também as carências económicas motivam situações desumanas que nunca deveriam existir.
Perante estas situações, poderíamos pensar que as soluções surgem do exterior. Nada mais errado. A construção de família, com a normalidade do amor, é tarefa e encargo de todos os seus membros. Não é um produto feito que se compra fora. Só a atenção, a ternura, o carinho, o espírito de aceitação do outro nas suas diferenças e a capacidade de perdoar garantem que o amor nunca envelhece.
Neste Natal quero pedir, a todos e cada um, que sejam construtores da sua família. Ser feliz na família e a partir da família é possível. Vale a pena! O amor cimenta laços que nenhuma dificuldade consegue destruir. Amemos até dar a vida uns pelos outros.
A Arquidiocese sugeriu a simbologia do berço para este Natal.
Queremos que seja um berço que humaniza. Daí que, construindo a nossa família, também podemos e devemos trabalhar pelas famílias dos outros. Respeitando a intimidade e privacidade de todos, ajudemos as famílias em dificuldade a reencontrar o caminho do amor. É propósito para este Natal e trabalho para todos os dias.
Bom Natal para todas as famílias, particularmente para aquelas que perderam a esperança. Nelas recordo também os jovens e peço-lhes que acreditem que Cristo é o seu maior amigo e
apareçam, para em comum, caminharmos na corresponsabilidade por um mundo novo.


Marcações: Mensagem de Natal, Arcebispo Primaz de Braga, Jorge Ortiga

Imprimir Email