Caminho de Torres sinalizado no percurso da antiga estrada romana, em Serzedo, Calvos, Gémeos, Abação, Pinheiro e Urgezes

O Caminho de Torres vai ter mais um percurso valorizado em Guimarães, território que assume uma importância central no itinerário secular dos peregrinos em direcção a Santiago de Compostela.

O caminho liga Salamanca a Santiago de Compostela atravessa o concelho de Guimarães, acompanhando o trajecto da antiga ligação até Amarante. Esse percurso do caminho de Torres está a ser resgatado e sinalizado, no âmbito de um projecto liderado pela Comunidade Intermunicipal do Tâmega e do Sousa, envolvendo as CIM's do Ave, Cávado, Alto Minho e Douro.

Em declarações prestadas ao Grupo Santiago, o coordenador científico do projecto, o historiador Paulo Almeida Fernandes, realçou a importância patrimonial do caminho que atravessa as freguesias de Serzedo, Calvos, Gémeos, Abação, Pinheiro e Urgezes até chegar à cidade de Guimarães.

"O que fizemos no quadro institucional de um consórcio de cinco comunidades intermunicipais foi realizar um diagnóstico deste trajecto que estava já identificado e fazer pequenas alterações", referiu Paulo Almeida Fernandes, indicando que no caso de Guimarães "o caminho passava pela antiga linha férrea que está desactivada e transformada em ciclovia".

"Achamos que não era um caminho, nem histórico, nem com grande segurança para os peregrinos e fomos à procura de um caminho alternativo e identificamos a antiga estrada romana que passava por Arco de Pombeiro, Gémeos, Abação, Pinheiro, Urgezes e que pela Fonte Santa ligava a Guimarães", disse, ao destacar que será esse o trajecto a valorizar com a marcação do percurso com a sinalética alusiva ao Caminho de Torres.

O responsável salienta que o percurso oferece as condições necessárias para a segurança dos peregrinos, porque "não passa por muitas estradas de alcatrão, tem a vantagem de cruzar duas auto-estradas, oferecendo a sensação de ritmos diferentes de contacto com a natureza". "Tem todas as condições para ser um caminho de Santiago como os peregrinos necessitam", acrescentou, lembrando a ligação ancestral de Guimarães a Santiago de Compostela, estando ainda presente o ditado: "quem vai a Santiago e não passa pela Oliveira não faz peregrinação verdadeira".

A sinalização permite a orientação dos peregrinos, em percursos onde persistem elementos patrimoniais ligados ao imaginário religioso, como em Urgezes, na Rua da Parede.

em Sociedade

Marcações: Urgezes, Pinheiro, Gémeos, Abação, União de Freguesias de Serzedo e Calvos, Caminho de Torres, estrada romana

Imprimir