Metrobus que vai ligar Guimarães a Braga contempla extensão até Lordelo

O projecto de ligação por «Metrobus» entre Guimarães e Braga vai integrar o eixo urbano de mobilidade que contempla a extensão até à vila de Lordelo, com a criação de uma "linha dedicada" para a circulação deste autocarro elétrico rápido.

Em declarações ao Grupo Santiago, o Presidente da Câmara de Guimarães destacou a importância do projecto que unirá os Municípios de Guimarães e Braga e contemplado no Programa Nacional de Investimentos 2030 com uma verba de 200 milhões e euros e uma extensão de 25 quilómetros. Domingos Bragança explicou que a ideia inicial de criação de um metro de superfície para ligar as duas cidades evoluiu para o modelo de metrobus, em articulação com a estruturação do território em cada um dos concelhos para a definição de sistemas urbanos com "via dedicada".

No seguimento do trabalho desenvolvido pelas equipas dos dois Municípios, em parceria com a Universidade do Minho, o projecto evoluiu e no passado mês de Agosto, os Autarcas de Guimarães e Braga fizeram saber ao Governo a importância da ligação rápida entre Guimarães-Braga. "Temos um conjunto de projectos em comum com a Universidade do Minho e a região tem as condições para constituir-se como uma área metropolitana, que seria a terceira área metropolitana do País, depois de Lisboa e do Porto", afirmou o Autarca, fazendo questão de frisar que o projecto ainda está a ser elaborado.

"Temos 200 milhões de euros para desenvolver o trabalho e os sistemas urbanos das duas cidades e dentro deles a ligação entre Guimarães e Braga", acrescentou.

"Os dois municípios ficaram com a responsabilidade de apresentarem o projecto ao Ministério do Ambiente e da Acção Climática e ao Ministério do Planeamento e das Infraestruturas para que comecemos já a trabalhar, porque temos de 'andar da perna' por causa dos recursos e dos fundos comunitários em que se insere este Plano Nacional de Investimentos 2030. Tudo é muito demorado e vai provocar uma autêntica revolução mesmo a nível das estruturas físicas", advertiu Domingos Bragança, alertando: "depois dos projectos, temos de estar preparados para o impacto no território. Antes de ficar pronto, dará transtornos, porque será feita uma revolução urbana, eléctrica e sustentável".

No caso do sistema urbano de mobilidade, em Guimarães, o eixo concelhio irá contemplar a extensão à vila de Lordelo. "É quase uma linha recta: a ligação de Lordelo, Moreira de Cónegos, passando pelas freguesias de Conde, Nespereira e Polvoreira, vindo à Cidade, ligando à vila das Taipas, atravessando as diversas freguesias. Esse é o eixo principal de mobilidade urbana de Guimarães que terá depois as diversas intersecções e ligações para Este e Oeste do Concelho. Da zona das Taipas, será definido o corredor dedicado para a ligação à Cidade de Braga", explicou.

No território concelhio, vincou Domingos Bragança, será definido o corredor dedicado entre a vila de Lordelo, Moreira de Cónegos, passando pela Cidade, e ligando depois Fermentões, Ponte e Taipas. Depois, o corredor ligará à cidade de Braga".

em Sociedade

Marcações: Guimarães, metrobus

Imprimir