VÍDEO: Esgoto a céu aberto em Guimarães provocado por edifício do IHRU



É um cenário próprio do terceiro mundo ou do Portugal do tempo da «outra senhora»; o tempo de um país europeu subdesenvolvido em que a saúde pública era questão de menor. Tal como a qualidade de vida da população.

Em pleno século XXI, no perímetro da Cidade que viu nascer Portugal, há esgoto a céu aberto; mesmo esgoto a céu aberto, no mais puro sentido do termo que se pensava extinto da realidade portuguesa. Esse é o triste e inacreditável cenário que se pode observar nas traseiras de um prédio do IHRU, na Rua Associação Artística Vimaranense.

Num tempo de pandemia os moradores registam a contradição do IHRU. A mesma entidade que envia cartas a alertar para as regras de higiene e segurança para combater a propagação da COVID-19, é a mesma que deixa arrastar no tempo um problema que também põe em perigo a saúde pública.

Com um cheiro intenso e nauseabundo torna-se difícil ter janelas abertas. Uma triste realidade que faz adivinhar problemas sérios com a canalização de saneamento de um edifício com mais de 40 anos.

O Grupo Santiago questionou o IHRU com este problema mas não obtivemos resposta. Um silêncio que agrava a culpa de uma entidade pública que ignora uma realidade que põe em perigo a saúde pública.

Já depois da edição desta reportagem, o Grupo Santiago confirmou que a pedido do IHRU a Vimágua procedeu à desobstrução que estava na base do esgoto a céu aberto. Uma resolyção que não resolve o problema estrutural que se espera seja, rapidamente, resolvido pelo IHRU.


Marcações: IHRU, esgotos

Imprimir Email