Lucas Evangelista: "Gostaria de continuar no Vitória"



Lucas Evangelista não esconde que gostava de continuar no Vitória depois de terminar o período de empréstimo, acertado com o Nantes no último Verão.
O médio ofensivo brasileiro é um dos jogadores em destaque no plantel de Ivo Vieira, assumindo-se como um dos indispensáveis para o treinador. A SAD do Vitória tem uma opção de compra de 100% dos direitos económicos por quatro milhões de euros ou de 50%, dos referidos direitos, por uma verba de dois milhões de euros.
Nesta altura, Lucas Evangelista considera prematuro falar da sua transferência, a título definitivo, para o Vitória. Mas, numa entrevista ao DESPORTIVO de Guimarães, assumiu que esse é um cenário que lhe agrada.

A Taça de Portugal é uma competição onde o Vitória tem tradição e vem aí o primeiro adversário. Já estão imbuídos dessa ambição de chegar o mais longe possível?
Claro. Sei da grandeza do Vitória, mas vamos entrar em todas as competições como se fossem uma final. Não vai ser só na Taça. Até nos amigáveis vamos entrar com o pensamento em ganhar. A partir do momento em que vestimos esta camisola, temos de dar sangue e sair do campo esgotados. Estamos a representar todos os adeptos do Vitória. Damos importância a todos os jogos.

Seria um prazer chegar a uma final da Taça de Portugal?
É o sonho de qualquer jogador. Com muito trabalho e empenho, vamos esperar que aconteça já esta época. 

Na Taça da Liga, o empate na Luz deixou boas perspectivas para poder chegar à final four?
Fizemos um bom jogo. O Ivo até nos disse que podíamos ter dado mais, porque conhece bem o potencial da equipa, mas à partida o empate na Luz contra o Benfica é um resultado bom. 

E é positivo o Vitória estar ainda envolvido em todas as competições?
O Ivo diz-nos que o maior cansaço é o mental e eu concordo com ele. Sabemos que todas as partidas vão ser difíceis e, nesse sentido, temos de estar leves mentalmente, sem pressão alguma. Se chegar o cansaço físico, sabemos que teremos outros companheiros para entrar e dar conta do recado.

Na Liga Europa, o Vitória teve bons desempenhos nos dois jogos da fase de grupos, mas acabou por perder. São dores de crescimento de um clube que precisa de estar mais regularmente nestas competições?
Pode contar um pouco. São os detalhes que fazem a diferença, ainda mais numa competição de alto nível. Se tivéssemos mais experiência, talvez tivesse sido diferente. Temos de aprender com estes erros.

A questão do apuramento está muito condicionada por estas duas derrotas. O que é que o Vitória vai fazer nos restantes jogos?
Mostrar a nossa qualidade. Seja com o Arsenal ou com alguém de menor expressão, o Vitória deve entrar em campo para ganhar. As estratégias podem ser diferentes, mas o objectivo é esse. Sabemos, por exemplo, da grandeza do Arsenal e devemos ter muita concentração, mas o pensamento será em conquistar os três pontos.

Esse jogo num dos maiores palcos europeus vai criar algum nervoso miudinho?
Medo não temos, mas acredito que antes do jogo vai dar aquele friozinho na barriga. Já comentei com os colegas que não temos de entrar com pressão, devemos sentir-nos livres para estarmos bem mentalmente. Caso contrário, não conseguiremos render a 100%. Vamos enfrentar uma equipa com muita qualidade, mas também conhecemos o nosso potencial.

E o Vitória não vai estar sozinho no Emirates. Estarão mais de dois mil adeptos...
Isso motiva muito mais a gente. Quando o assunto é os adeptos do Vitória, fico sem palavras por tudo aquilo que fazem por nós. Dão-nos apoio, carinho, é uma força extra para batalharmos dentro do campo.

Como tem sido a sua relação com eles, é fácil sair à rua?
Tem sido (risos). Já ouvi muita gente dizer que isto pode ser o 8 ou 80, por isso só espero que continue nos 80, com toda a gente a tratar-me muito bem nas ruas e nas redes sociais. Recebo muitas mensagens, procuro responder a todas...

O que é que lhe dizem quando o abordam na rua?
Dão força mas, ao mesmo tempo, há sempre uma pontinha de exigência que é normal, face à paixão que eles têm pelo clube. Como dão carinho e apoio, têm direito a cobrar.

Têm sido o 12.º jogador?
Sempre. Na última partida, por exemplo, perdemos mas o Estádio aplaudiu-nos de pé. Foi um sentimento de gratidão porque viram que toda a gente se entregou ao jogo.

Muitos adeptos do Vitória já vão pedindo um esforço ao clube para que compre o passe ou, pelo menos, metade do passe do Lucas. Gostaria de continuar para lá desta época?
Gostaria, mas é muito prematuro. Não sabemos o que vem aí, tenho é de pensar em trabalhar, crescer e melhorar para ajudar o Vitória. Consequentemente, se isso acontecer, as coisas podem ser benéficas. Depois do último jogo, que seja feita a vontade de Deus. 

Não descartaria, neste momento, a possível continuidade no Vitória na próxima época?
Claro que não. Sinto-me muito bem aqui, jogo, sou feliz e isso é o melhor que nos pode acontecer.

Marcações: Vitória Sport Clube, Taça de Portugal, Liga Europa, Lucas Evangelista

Imprimir Email