Frederico Venâncio: "Será estranho se o campeonato não for terminado, mas se a decisão for essa temos de a respeitar"



O defesa-central do Vitória, Frederico Venâncio, esteve numa teleconferência, esta quinta-feira, em que abordou o actual momento que o plantel do Vitória atravessa, em função do estado de emergência decretado no país. Frederico Venâncio concordou com a ideia de que será importante concluir o campeonato, para que haja alguma verdade desportiva.

Como tem sido a adaptação a este a novos dias, com os treinos em casa?: “Estamos todos a viver uma situação inédita. Tentamos adaptar-nos a uma experiência nova. Temos de manter o nosso foco, o nosso profissionalismo, continuando a treinar para ter alguma condição física. Temos de estar preparados.”

Tem acompanhado as notícias, ou prefere passar um pouco ao lado e manter o foco no treino?: “Tento acompanhar qb, digamos assim. Não quero estar o dia todo a acompanhar, porque é desgastante mentalmente. Estar sempre a ouvir notícias tristes... vamos esperar que em breve as coisas possam começar a melhorar. Tento desligar-me um pouco para aproveitar o meu tempo com a família e não lhes passar excessiva informação. É importante abstrair-nos um pouco do ponto de vista mental.”

Ao nível do treino, tem sentido dificuldades para se adaptar?: “Não. Foram-nos dados planos individuais, mas agora temos feito treinos todos juntos. Com o que temos tentamos adaptar-nos. Tem havido um esforço do clube para nos dar o equipamento necessário para que consigamos fazer alguns treinos, especialmente da parte cardio. A única coisa que falta, aquilo que o jogador sente necessidade, é o contacto com a relva, com o campo. Nesse aspecto vai ser um bocado difícil, no resto, com o pouco que termos dá para fazer muito trabalho. Acima de tudo, tem de haver esforço dos jogadores. Temos estado a trabalhar bem.”

Têm abordado esta questão entre os jogadores?: “Normalmente, durante os treinos não falamos. Queremos continuar com aquele ritmo que tínhamos no decorrer da época, com o convívio que existe no balneário e campo. Um registo feliz. Tentamos não nos focar no que está a acontecer, aproveitando o momento para matar saudades uns dos outros e para ir falando de outras coisas. Entramos um pouco na brincadeira, como no balneário.”

Com uma paragem tão longa o campeonato não fica um pouco desvirtuado, a verdade desportiva não fica beliscada?: “É uma situação muito complicada. A grande prioridade neste momento é a saúde pública, temos de salvaguardar isso. Em relação aos campeonatos, temos de esperar para ver o que vai acontecer. Não sabemos sequer o que vai ser decidido. Não há exemplos no passado para que possamos tirar algumas ideias. Todos nós queremos terminar o campeonato, fazer os jogos que faltam, para saber em que classificação em que ficamos e que objectivos conseguimos cumprir. Trabalhomos para um objectivo comum e não poder terminá-lo seria um pouco estranho. Em relação à verdade desportiva, cabe mais aos líderes, a Liga e Federação, tomarem a melhor decisão para todos. Quando essa decisão for tomada todos vão ter de respeitá-la. Vai ser estranho se o campeonato não for terminado, mas se a decisão for essa temos de a respeitar. Queremos atingir os nosso objectivos.”

Vitória já jogou de três em três dias esta época. Pode ter uma melhor adaptação a um cenário desses?: “Se o campeonato for retomado terá de haver um pequeno período de adaptação à competição, uma nini pré-época. Em casa tentamos manter a condição física, mas não é a mesma coisa. Se jogarmos de três em três dias não direi que temos vantagem. Os jogos serão mais difíceis, os pontos mais caros, porque estamos na reta final e começamos a distinguir pequenos grupos pelos seus objectivos, como a luta pela manutenção, acesso à Liga Europa e quem luta para ser campeão. Todas as equipas vão ter de se adaptar a uma experiência que já tivemos em função da nossa presença na Liga Europa. Estamos um pouco mais habituados.”

Estava a ser a melhor época no Vitória: “Em relação à época passada está a ser melhor. Permitiu-me ajudar a cumprir um objectivo individual ao jogar na Liga Europa, é o ponto mais desta época em relação à anterior. Ficaria mais satisfeito se pudesse ajudar o Vitória a ajudar a cumprir o apuramento para a Liga Europa. Seria uma época em cheio.”

A mensagem para os adeptos do Vitória: “A única mensagem que tenho é para apelar que fiquem em casa e que respeitem as indicações da Direção Geral de Saúde. Neste momento, é o que todos temos que fazer para que possamos inverter esta situação e para que o futebol volte ao nosso estádio. Queremos dar muitas alegrias aos adeptos, mas neste momento o que podemos dizer é que fiquem em casa.”

Marcações: Vitória Sport Clube, Frederico Venâncio

Imprimir Email