Funcionário da Câmara de Guimarães acusado de se apropriar de quase três mil litros de gasóleo

O Ministério Público (MP) acusou de peculato um funcionário da Câmara de Guimarães, por alegadamente se ter apropriado de pelo menos 2.815 litros de gasóleo e por uso de veículos automóveis do Município em proveito próprio.
Em nota publicada na sua página, a Procuradoria-Geral Distrital do Porto refere que o arguido era assistente operacional e que com a sua conduta terá obtido uma vantagem patrimonial ilegítima superior a 3.070 euros.
Segundo o MP, o arguido recorreu a “vários expedientes” e chegou a usar viaturas do Município ao fim-de-semana.
O suspeito está acusado de um crime de peculato, de um crime de peculato de uso e de um crime de falsificação.
O MP promoveu que seja condenado a pagar ao Estado o valor de que beneficiou com a sua conduta, sem prejuízo do ressarcimento ao Município em que venha eventualmente a ser condenado.


Marcações: Câmara , combustível , funcionário

Imprimir Email