Ministério Público acusa solicitador de execução do crime de peculato

O Ministério Público acusou um homem imputando-lhe a prática de um crime de peculato.

Os factos reportam-se à actividade do arguido enquanto solicitador de execução no âmbito de processo executivo com termos corridos no Juízo Central de Execuções de Guimarães. Considera o Ministério Público indiciado que o arguido se apoderou, no ano de 2016, de mais de 51 mil euros pertença do exequente e que haviam sido apurados na execução após exercício do direito de remição relativamente a um imóvel penhorado.

Sem prejuízo dos direitos do lesado, o Ministério Público pede também que o arguido seja condenado a pagar ao Estado este valor, por corresponder à vantagem da actividade criminosa que desenvolveu.

Marcações: Ministério Público, peculato, solicitador de execução

Imprimir Email