Presidente da Câmara de Guimarães destaca importância social do movimento mutualista

O Presidente da Câmara destacou a importância social do movimento mutualista. Domingos Bragança que falava na sessão de abertura do VIII Encontro Nacional de Dirigentes Mutualistas que decorreu esta esta sexta-feira em Guimarães, salientou a importância do investimento na formação como forma do mutualismo responder aos novos desafios da sociedade.
"A capacitação dos técnicos é fundamental para responder à iliteracia no que respeita à saúde e bem estar e aos mais diversos níveis e isso cruza com a educação e cultura", afirmou.
"Sendo importante, não basta assegurar consultas e fármacos. Também é importante promover o conhecimento e hábitos de vida saudáveis", acrescentou.

O mutualismo nasceu em Portugal há 722 anos. O Presidente do Conselho de Administração da União das Mutualidades Portuguesas, Luís Silva, salientou que nunca como hoje fez sentido o mutualismo.
"As crescentes dificuldades dos Estados em assegurar uma adequada protecção social aos seus cidadãos, fazem com que as soluções mutualistas voltem a emergir como uma alternativa de futuro, sólida e sustentável em Portugal e no Mundo", referiu.
O mutualismo continua a ser um movimento com espaço de intervenção na comunidade mas necessita de definir linhas orientadoras, enumeradas por Luís Silva.
"O rejuvenescimento do sector, chamando jovens e mulheres para os órgãos sociais, a capacitação das mutualidades, dos seus dirigentes, técnicos e colaboradores, o desenho de novas respostas e a necessidade de nos abrirmos ao Mundo são grandes desafios em que estamos vivamente empenhados", afirmou.

O encontro decorreu na sede da Associação Familiar Vimaranense, instituição com 18 mil associados. O seu presidente, Augusto Abreu, salienta que a instituição centenária vimaranense continua a ser "uma alternativa credível de apoio social" na resposta a questões tão actuais como o "isolamento e a dependência".


Marcações: VIII Encontro Nacional de Dirigentes Mutualistas

Imprimir Email