Chef Rui Filipe Santos fala da situação do seu restaurante após o desconfinamento

 

A profissão de Chef de Cozinha alcançou um nível superior. Outrora diziam que era uma profissão menos nobre, mas actualmente exercer essa profissão é cativante, e segundo o nosso entrevistado "as pessoas ficam maravilhadas quando digo qual é a minha profissão."

Mas nem sempre foi assim. Confessou que inicialmente e quando decidiu abraçar essa profissão sentiu algum preconceito por ser um simples cozinheiro. Mas depois que foi para a cozinha de restaurantes de renome e que se tornou Chef, as atitudes mudaram. É triste, mas a nossa sociedade continua a funcionar dessa forma.

Tem 26 anos, mas o gosto pela cozinha começou em miúdo. Lembra-se perfeitamente de andar atrás da mãe e da avó e observar o que ambas faziam.
"Entretanto, em casa tornei-me o provador oficial dos cozinhados da minha mãe. Tinha um paladar apurado para os temperos."
Quando começou a jogar futebol veio a paixão pelo desporto e tirar uma licenciatura relacionada com essa área foi o seu objectivo durante alguns anos. Mas na altura de escolher, o pai sugeriu-lhe um curso de cozinha, uma vez que o desporto estava saturado e a cozinha estava a crescer.

Seguiu o conselho do progenitor e tornou-se um grande Chef. Conheça a história na BIGGERmagazine de Julho!

 


Marcações: chef, rui filipe santos, cozinha

Imprimir Email