Projecto dos Sacro Montes teve parecer favorável do Governo e da CCDRN

O projecto dos Sacro Montes, promovido pelos Municípios de Guimarães e Braga, obteve «luz verde» do Governo e da CCDRN. Em causa está o Programa Intermunicipal de Salvaguarda da Paisagem dos Sacro Montes. As duas Autarquias tinham manifestado junto da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N) e da Secretaria de Estado do Ordenamento do Território e da Conservação da Natureza, a intenção de elaborar, em conjunto, um instrumento de gestão territorial dos Sacro Montes, cuja aprovação e abertura de procedimento foi já publicado em Diário da República, de 14 de Dezembro.
A CCDR-N já havia emitido um parecer favorável à elaboração do referido programa intermunicipal “reconhecendo a sua importância para a região Norte de Portugal, como iniciativa única e inédita e salientando o propósito de preservação e salvaguarda de um território singular”. Assim, estão reunidas as condições necessárias para remeter às respetivas reuniões de câmara dos municípios de Braga e Guimarães a abertura do respectivo procedimento.

O presidente da Câmara Municipal de Guimarães, Domingos Bragança, realça que este programa “permitirá aos dois municípios apresentem candidaturas aos fundos europeus para a reabilitação do ponto de vista ambiental e a preservação dos equipamentos culturais existentes”.
“Braga e Guimarães são duas Cidades que partilham elementos de elevado valor patrimonial e que se fundem numa só paisagem. A aprovação deste projecto é um passo decisivo para potenciar os nossos Sacro Montes a vários níveis, nomeadamente do ponto de vista ambiental, patrimonial, histórico, económico e turístico”, salienta Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga.

Em comunicado, a Câmara de Guimarães fala de um projecto pioneiro a nível nacional que abarca um território pontuado por um conjunto de símbolos identitários, tais como, o Santuário do Bom Jesus do Monte, o Santuário do Sameiro, a Capela de Santa Maria Madalena, a Capela de Santa Marta do Leão e os povoados castrejos pré-históricos de Santa Maria das Cortiças, Briteiros e Sabroso, que compreende uma área de 2.500 hectares.

Marcações: Sacro Montes

Imprimir Email