Luís Castro: "Sporting pode esperar um Vitória forte, nada diminuído pelo que tem acontecido nas últimas jornadas"



O treinador vitoriano, Luís Castro, fez a antevisão do jogo com o Sporting numa conferência de imprensa que teve lugar esta quinta-feira.

Vitória foi o primeiro clube a travar o Sporting de Marcel Keizer. O que tem de fazer para voltar a somar pontos?: “As duas equipas estão diferentes, o que não quer dizer que o jogo não possa acontecer da mesma forma, com uma uma boa exibição do Vitória. Não é impossível ultrapassar a dificuldade que tem pela frente.
As duas equipas estão diferentes, um Sporting com mais mobilidade, os seus interiores, o Wendel e o Bruno com um raio de acção maior e a percorrerem caminhos diferentes. É uma equipa que no seu global apresenta dinâmicas diferentes daquelas da altura em que nos encontramos. O Vitória procura ser essa equipa que estava nesse momento do campeonato. Temos lutado muito para encontrar esse momento de estabilidade que nos leve a boas exibições. Vamos tentar ser o mesmo Vitória que defrontou o Sporting nessa primeira volta.”

Quão difícil tem sido para a equipa gerir a montanha russa de emoções e resultados?: “É muito mais complexo para todos. Procuramos constantemente soluções para que isso não aconteça. A equipa entre Outubro e Dezembro viveu 13 jogos sem conhecer o sabor da derrota, esse período deu grande paz para se trabalhar. A equipa encontrou dinâmicas muito próprias nessa fase. Pensávamos que estava encontrado o equilíbrio para o resto do campeonato, fomos depois surpreendidos com a oscilação de rendimento. A equipa tem mostrado essa irregularidade, que tem sido penalizadora com pontos perdidos.  Não se trabalha de forma diferente do que se fazia na altura, mas sim com a mesma determinação e coragem. Mas, há momentos em que a equipa se encontra e outros em que desaparece. Temos trabalhado coisas que tínhamos que fazíamos no início da época, coisas mais simples, para cimentar mais a equipa. Está a ser um trabalho árduo, mas queremos com isso atingir o objectivo para a época desportiva.”

Entende a contestação em torno da equipa?: “Gostamos que as nossas equipas sejam apoiadas e elogiadas, muito mais do que contestadas. Isso são cenários ideias que não existem no futebol. Se perante o elogio e o apoio ficamos muito satisfeitos, não podemos estranhar que venha a critica e contestação quando as coisas não correm bem. Temos de saber viver com isso. A equipa tem de voltar a ser equilibrada defensivamente e que não entre em stress competitivo em determinados momentos do jogo, não pode ficar desconfiada num momento menos bom. Em determinado momento a equipa começou a oscilar e começou a desconfiar dela. A confiança tem de ser retomada, temos de ser fortes e corajosos para voltar a ser equilibrados. Foi o equilíbrio defensivo que nos permitiu quase sempre dar confiança à equipa no seu momento ofensivo. A equipa já percebeu o que tem a fazer para voltar às boas exibições.”

A equipa ainda vai mostrar capacidade de reacção quando sofre um golo primeiro?: “Em jogos desta dimensão é sempre melhor marcar primeiro, dá uma injecção de confiança muito forte. É normal que a equipa se sinta desconfiada quando sofre um golo. A retoma de confiança não tem timings, pode acontecer mesmo à beira do final de um campeonato. Tenho esperança que aconteça já neste jogo. Nunca perdi a confiança nos meus jogadores, porque vejo a dedicação que têm ao trabalho, ainda que muitas vezes não consiga expressar nos jogos o trabalho que faz durante a semana. Tenho confiança que a equipa volte a ter confiança nela e que consiga resultados para atingir o objectivo da época.”

Este Sporting está a atravessar a sua melhor fase?: “Os resultados dizem que sim. Os factos é que validam as nossas opiniões. O Sporting está à muitos jogos a ganhar. Sabemos dessa mais valia do adversário e temos de nos preparar para isso. Há momentos do jogo que temos de saber aproveitar muito bem. Espero que na prática possamos efectivar o nosso plano semanal. É um Sporting mais móvel, isso implica muita atenção da nossa parte. Vamos ter de ter cuidados, mas também vamos ter a baliza do Sporting na nossa cabeça. Estamos preparados para essas adversidades, numa época que tem sido muito dura, esperamos também ultrapassar esta.
Neste momento todas as equipas estão muito fortes no campeonato. O Sporting quer atingir o terceiro lugar, está em luta directa com o Sp. Braga. Nós queremos atingir o 5.º, estamos em luta directa com o Moreirense e Belenenses. Na frente está a luta intensa pelo título, como acontece no fundo com as equipas que não querem descer. Há até lá equipas que projectaram estar a lutar pela Liga Europa e que estão a tentar fugir aos lugares de baixo."
Esperamos um Sporting forte e o que o Sporting pode esperar é um Vitória também forte, nada diminuído pelo que tem acontecido nas últimas jornadas. A nossa memória não se cinge ao que aconteceu nas últimas jornadas.”

Jogadores como Bruno Fernandes obrigam a atenção especial?: “O foco é sempre o colectivo, mas quando as equipas que defronntamos têm jogadores que se destacam, que valem os 80 ou 100 milhões, eles pesam no jogo. São jogadores diferenciados dentro dos planteis, que pesam nas eliminatórias, nos campeonatos. O Bruno Fernandes é um jogador que se destaca no Sporting, mas o Sporting vai muito além do seu valor. As equipas valem pelo seu colectivo, muito mais do pelas suas unidades individuais."

Marcações: Vitória Sport Clube, Sporting CP, Luís Castro

Imprimir Email