Todos os alunos de Guimarães terão condições para o ensino à distância na próxima semana

Na próxima semana todos os alunos de Guimarães deverão ter condições para o ensino à distância. Este foi um cenário assumido pela vereadora da Educação. Adelina Pinto falava no final da reunião do Executivo Municipal, de ontem, tema suscitado pelo PSD a propósito da proposta de atribuição de um apoio financeiro aos agrupamentos de escolas do Concelho no valor de 12.500 euros para compra de equipamento tecnológico.

O vereador social democrata Bruno Fernandes manifestou discordância com o "modelo" de apoio traçado pela maioria socialista, sublinhando que em estado de emergência o Município deveria ter disponibilizado o apoio necessário para que todos os alunos tivessem condições para o ensino à distância, independentemente de ser ou não sua competência.
"Num estado de emergência não devemos discutir onde começa a competência de uns e de outros. Na esfera da sua actuação local, o Município tem de garantir os meios aos vimaranenses e o que aconteceu é que na última reunião a Câmara disse que apenas assumia metade desse apoio e agora apresentou uma proposta para que os agrupamentos comprem equipamentos. Se era para assumir esta competência, com a qual concordamos, a Câmara deveria-o ter feito de imediato", afirmou.

A vereador da Educação não concorda. Recordando a responsabiliade da Câmara é apenas do 1º ciclo, Adelina Pinto considera que o apoio do Município foi o necessário, articulado com as escolas e próprio de um "estado de emergência".
"Esta é uma resposta que advém do estado de emergência. Fizemos o levantamento das necessidades junto dos agrupamentos que, por sua vez, fizeram o levantamento junto dos alunos e estas coisas demoram o seu tempo", referiu.
Sublinhando que a primeira indicação "não era real", Adelina Pinto diz que as escolas também fizeram o levantamento dos seus equipamentos e como afirmara Domingos Bragança "a Câmara apareceria na fase final" do processo relativo ao 2º e 3º ciclos e secundário e após as soluções encontradas também com a colaboração da comunidade.

Adelina Pinto reiterou que, num primeiro momento, a Câmara comprou 500 tabletes e outros tantos numa segunda fase, sendo estes com ligação à internet, acrescentando que o subsídio agora atribuído permite às escolas criar condições para o tempo pós-covid-19 em que a aposta nas novas tecnologias será muito maior do que antes da pandemia. A sua convicção é que todos os alunos de Guimarães terão condições para o ensino à distância até ao final da próxima semana.

Marcações: Executivo Municipal, agrupamentos de escolas

Imprimir Email