CDU quer Câmara mais pró-activa com trabalhadores despedidos

A CDU quer que a Câmara de Guimarães acompanhe mais de perto o problema do encerramento de empresas e as consequências para os trabalhadores.
No final de uma reunião solicitada e mantida com o Presidente da Câmara ontem, Mariana Silva defendeu mais pró-actividade do Município para minorar os problemas dos trabalhadores de empresas que encerram a sua actividade.
Numa altura em que "diversas empresas do Concelho estarão a enfrentar problemas e algumas já fecharam", a CDU pretendeu saber da "sensibilidade da Câmara para estas questões".
Para a reunião com o Presidente da Câmara, a CDU levou casos concretos de empresas que encerraram, nomeadamente a Dobraconfex e a ACIG e "outras que atravessam dificuldades que estão em liquidação e poderão fechar".
"Num Concelho que está empobrecido e se praticam baixos salários, é necessário rever e perceber o que se passa e fazer com que a Câmara tenha atenção redobrada para estas questões", salientou Mariana Silva.
Na reunião, a CDU pediu ainda a intervenção do Presidente da Câmara no sentido de ajudar a resolver "rapidamente" o conflito laboral na Kyaia.
"Trata-se de uma situação que está a penalizar o salário dos trabalhadores que cumprem as oito horas e a quem são retirados 20 minutos diários de pausas que não são obrigatórias e, por isso, os trabalhadores não têm de as cumprir. É uma situação que implica problemas futuros por força das faltas injustificadas que estão a ser marcadas aos trabalhadores", afirmou.

Marcações: CDU

Imprimir Email